sexta-feira, 11 de julho de 2014

Sexta Feira Bagaceira: Depeche Mode

Dando mau exemplo e, segundo Dave Gahan, usando "roupas ridículas".
Para os fãs fervorosos do Depeche Mode sombrio que começou a aparecer por volta de 1984, a culpa por "Just Can't Get Enough" (1981) é de Vince Clarke. Bobagem. Vince mostraria ser um compositor pop talentoso depois que caiu fora do Depeche (um mês depois da banda lançar o álbum de estreia, Speak & Spell). Clarke compôs nove das onze faixas do disco - "Just Can't Get Enough" entre elas.

Não tinha como errar. Um riff de teclado viciante, uma letra bobinha sobre paixão adolescente ("Toda vez que penso em você / Sei que temos de nos encontrar / Está ficando mais quente, é um amor que queima") e o terceiro compacto do Depeche era o primeiro a beliscar significativamente a parada inglesa (chegou ao oitavo lugar). No Brasil, curiosamente, a faixa só foi chamar atenção dois anos depois, após ser incluída na trilha da novela Louco Amor, da Rede Globo.


A versão Schizo Mix do hit (lançada num doze polegadas) no entanto, mostrou-se profética ao projetar o Depeche para o seu próprio futuro. Estendida para quase sete minutos, é exatamente no meio da canção que o portal se abre para o grupo. Nele, Martin Gore, Dave Gahan e Andy Fletcher afastam-se da pista de dança e vão para um ambiente escuro entre sintetizadores que exprimem profunda tristeza e uma voz lúgubre que repete sinistramente o título da música. Os próximos passos do Depeche Mode apontariam exatamente pra esse caminho.

"Just Can't Get Enough (Schizo Mix)": presságio.
   



2 comentários:

  1. :D "Nunca me canso" desta faixa. Boa lembrança.

    ResponderExcluir
  2. Essa aí não tem como. Agrada gregos e troianos. Só os xiitas, não, rs.

    ResponderExcluir

Spam, get outta here!